As divindades das religiões de matriz africana são os chamados Orixás. São como deuses, mas também possuem aspectos humanos. Além dos Orixás, também existem outras figuras inferiores, mas que também são veneradas pelos praticantes destas crenças.

Vamos falar da relação entre as religiões de matriz africana praticadas no Brasil e suas respectivas ervas mais utilizadas.

Diferenciação entre Umbanda e Candomblé

A Umbanda e o Candomblé dividem uma série de mesmos princípios, divindades e elementos. No entanto, elas possuem também algumas diferenças entre si, principalmente no que diz respeito à sua abrangência.

O Candomblé é uma religião africana mais próxima à África, mas com características que lembram ao espiritismo. Já a Umbanda também tem crenças espíritas, mas mescla elementos do cristianismo e de outras crenças.

As ervas e seus usos

Arruda: Esta erva tem um uso quase exclusivo da Umbanda em suas defumações, e é indicada por Exu para se livrar de maus olhados e outras vibrações ruins. É utilizada em banhos de descarrego, e tem uma curiosidade: se cultivada em ambientes carregados com espíritos ruins, a planta morre.

Jurema Preta: Também é muito utilizada para banhos de limpeza e descarrego, mas desta vez, para ambas as religiões. Também pode ter usos medicinais para combater úlceras.

Guiné-Caboclo: Esta é também uma erva de uso obrigatório para ambas as religiões de matriz africana. Purificadora, está sempre presente nos banhos de obrigações de cabeça e nos abô.

Babosa: Bem mais utilizada na Umbanda do que no Candomblé, a Babosa é utilizada para banhos pessoais realizados após banhos de descarrego. Suas folhas são queimadas depois de secas, o que exige certo tempo de preparação.

Guararema: com largo uso tanto na Umbanda como no Candomblé para banhos fortes e sacudimentos de ambiente, também pode ser utilizada em encruzilhadas.

Alecrim: Mais usada na Umbanda, tem função de banhos de limpeza.

Caapeba: Tem grande tradição no Candomblé para acabar com mão de zumbi, e também em banhos de limpeza e abô.

Aroeira: De grande uso no Candomblé, esta erva é dedicada a Exu e tem uso para sacudimentos, banhos fortes, purificação de pedras e banhos de descarrego.

Amoreira: Planta do Candomblé, é utilizada para a realização do culto a Eguns. Tem a característica de armazenar e se livrar de vibrações negativas.

Arrebenta Cavalo: Também muito utilizada no Candomblé para a realização de banhos fortes, mas sempre do pescoço para baixo. É usada também para atrair simpatias.

Há ainda centenas de outras plantas que também são muito aproveitadas tanto pela Umbanda como pelo Candomblé para os mais variados usos. Vá à sua tenda e fale com o responsável para saber tudo sobre as ervas aromáticas de seu Orixá e de sua religião.