Compostos por grãos de cores amareladas e feitos a partir de resinas aromáticas produzidas por árvores da família das bosuélias, que são encontradas no Oriente, os incensos utilizados pela Igreja Católica são para reverenciar, adorar e honrar Deus e Jesus Cristo. As passagens da Bíblia Sagrada que comprovam o porquê dessa utilização estão nos livros de Êxodo, Cântico dos Cânticos e Provérbios, entre outros.

Sobretudo, vale ressaltar que os incensos utilizados pela Igreja Católica nada têm a ver com os incensos usados em rituais de seitas, religiões orientais ou aqueles que podem ser encontrados em lojas comuns e são acesos em casa. O incenso da religião católica é o mesmo que os antigos sacerdotes usavam em Jerusalém. Outra curiosidade é que o uso litúrgico do turíbulo também é realizado pela religião ortodoxa e algumas comunidades protestantes.

No Ato Penitencial, o incenso da Igreja Católica é usado para purificar, limpar e expulsar os pecados. Por sua vez, quando o incenso é aceso no momento em que o Evangelho será lido, ele representa a veneração à Bíblia Sagrada, tratando-se de uma homenagem a Cristo Jesus. Mas interessa saber que, na maioria das celebrações católicas, o incenso é utilizado com a finalidade de realizar um Ato de Adoração ou na oferta de sacrifícios ao Senhor.

Solenidade em momentos de celebração eucarística

Utilizado para indicar a solenidade de celebrações da Eucaristia, o incenso da Igreja Católica é tido como um elemento capaz de criar um ambiente sagrado para a oração dos fieis. Acredita-se que a nuvem de fumaça criada por esses incensos sobe aos céus e elevam as orações até Deus. A utilização mais famosa do incenso pelo catolicismo ocorre na Espanha, na Missa do Peregrino, realizada na Catedral de Santiago de Compostela.

Isto é: o incenso católico, de forma geral, pode ser utilizado para diversas finalidades, como para indicar a festividade do dia, celebrar o altar que representa Deus, para honrar as imagens da Cruz ou da Virgem e para elevar o valor da Bíblia Sagrada. Da mesma forma, também é utilizado para santificar oferendas no altar e para celebrar o Santíssimo após a consagração ou nas celebrações de culto da Eucaristia.

O incenso é utilizado pela Igreja Católica desde o século IX

O século IX foi a época em que o incenso foi incorporado às missas católicas, utilizado sempre no início da celebração. Dois séculos depois, o altar, que representa Deus, se transformou no local onde o incenso é queimado. Nas procissões, os ramos também eram levados para serem queimados. Somente depois é que começaram a ser utilizados em oferendas de pão e vinho, que são feitas pelo padre três vezes com o Sinal da Cruz.

Desde então, a Igreja Católica adotou os incensos, que têm a sua utilização explicada em diversos livros da Bíblia Sagrada. Como dito anteriormente nesse artigo, sobretudo, o turíbulo é utilizado pela religião católica e ortodoxa para perdoar os pecados dos cristãos, elevar as orações dos fieis aos céus e honrar a Deus, a Cruz, Cristo e a Virgem.