Incensos são objetos que deixam a nossa vida muito mais confortável e harmoniosa. Através de seus aromas podemos ter um cotidiano mais purificado e energias mais positivas ao nosso redor. Mas você tem alguma ideia de como os incensos são fabricados? Sabia que algumas das técnicas de produção destes pequenos artefatos têm mais de mil anos de tradição? Confira o texto que preparamos para te apresentar como os incensos são fabricados.

A preparação da vareta

A grande parte dos incensos comercializados atualmente utilizam varetas para a fixação e para facilitar a queima. Mas também há a possibilidade de fazer a queima junto com pedaços de carvão mineral em um recipiente ou ainda queimar diretamente a madeira, como no caso do Palo Santo. Mas se o incenso for “convencional”, com varetas, o pedaço de madeira precisa ser preparado previamente.

A madeira normalmente utilizada para fazer a vareta é o bambu. Esta madeira é bastante flexível, pode ser cortada em varetas muito finas e, além disso, não dá cheiro a fumaça quando é queimada, o que é uma de suas principais vantagens, visto que a finalidade do incenso está em seu cheiro.

O incenso é uma arte milenar, mas que tem sido incorporado às novas tecnologias. Hoje em dia, as fábricas já contam com fatiadores mecanizados de varetas, que têm capacidade de cortar centenas de milhares de varetas de bambu por dia. Mas nos lugares mais tradicionais que ainda produzem incensos, como na Índia e na China, ainda existe o corte manual das varetas.

O aroma do incenso

Existem centenas de receitas secretas de incenso em diversos países, mas o método de fabricação é similar. As ervas responsáveis por serem os compostos aromáticos dos incensos – folhas, madeiras, gomas ou resinas – são moídas e misturadas para formar um pó homogêneo. O cuidado que se toma neste momento é não utilizar métodos de moagem que usam calor – como o método elétrico ou o movido a combustível – pois o calor pode provocar o aquecimento das ervas e fazer com que elas soltem seu aroma antes da hora. Por isso, este processo exige muito cuidado e precisão de quem o opera.

Esta mistura de ervas já pode, por si só, ser utilizada como incenso. Basta queimá-la junto ao carvão vegetal inodoro em um pequeno recipiente protegido do vento. Mas se o método de combustão for com varetas, é necessário um aglutinante na mistura para garantir que ela queime até o fim.

Por isso, nestes tipos, o carvão é triturado junto à goma arábica e depois mesclado com a mistura de ervas aromáticas. Esta pasta pode então ser colada na vareta e posta para secar. Pronto! O incenso está pronto para ser embalado, vendido e levar muito mais aroma para os ambientes das pessoas.